Ana Muniz. Arquivo pessoal
Ana Muniz. Arquivo pessoal

Last updated on maio 8th, 2018 at 12:44 pm

Ana Muniz é blogueira de cinema porque é uma mulher de imagens. Ela desenha, fotografa, faz vídeos. E tem mais um talento: escreve. Seu blog Pensando no Filme tem seguidores fiéis. É gente que sabe que a cada postagem lerá uma reflexão inteligente e estudiosa sobre um filme. Para quem gosta do bom cinema, o blog da Ana Muniz é tela cheia.

Conte um pouco de você
Minha vinda para a Web se deu em 1995, quando comprei o meu primeiro PC. Encantada, autodidata e com ajuda de amigos, fui entendendo como lidar com pastas, arquivos Word, JPG. Contos, poesias que eu já escrevia desde a época das máquinas manuais, e imagens que eu esboçava com canetas Bic e a lápis ganharam a força dos caracteres e traços digitais. Naqueles anos 1990, curiosa por conhecer a nova linguagem, comecei a aprender HTML, também autodidata, pesquisando na internet, passei a publicar meus pequenos sites com meus escritos, através do GeoCities e Starmedia – que posteriormente foram vendidos para o Yahoo. Entender HTML me permitia mudar as coisas como eu pretendia, desde a formatação, cores etc. Não me limitava ao que era oferecido pronto pelo serviço de hospedagem. Juntamente com estes conheceres, eu já desenvolvia trabalhos em vídeo. A partir dos conhecimentos adquiridos na área, criei o Curso Virtual de Roteiro. Talvez tenha sido o primeiro dado pela Web. A proposta era dar orientações via troca de mensagens. Tive um aluno, o curso durou 4 meses, e o pagamento vinha do Japão. O aluno era um jovem nissei, cujos pais tinham voltado ao Japão. Em 2006, minha vida pessoal passou por mudanças radicais. Saí de São Paulo, onde há mais campo na área audiovisual. Fui para Ituiutaba, cidade onde nasci, para ficar com minha mãe e tomar conta de empreendimentos da família. Passei a não ser mais “eu e minha coisas”, o entorno foi modificado alterando meu ânimo criativo. Nunca larguei o vídeo, as imagens, os textos, mas o tempo não podia ser integral. Entre uma coisa e outra e nas brechas, dei cursos, fiz documentários. Em 2005 fui contemplada com a Lei Rouanet, mas o patrocínio – o lado obscuro desse tipo de incentivo – não aconteceu . Em 2014, concluí um curso de pós-graduação em História. Pude realizar o desejo de escrever um texto histórico, e através dessa pesquisa, que também foi oral, gravada em vídeo, produzi um longa-metragem. Isto para provar (ou provocar?) o meu desejo de texto e imagens. Desde 2015 divido moradia entre Minas Gerais e São Paulo.

Em que ano você criou seu blog?
Meu blog mais recente Pensando no Filme foi lançado em 2009, no Blogspot. Depois migrei para o WordPress. O blog ficou um tempo suspenso, durante minha pós-graduação, e voltou em 2015.

Qual foi seu objetivo?
A ideia principal foi suprir a minha ausência nas produções (roteiro e vídeo), me aproximando delas através do texto, observando certos aspectos em filmes diversos.

Você posta com regularidade, qual?
Propus a mim mesma postar uma vez por mês, era o que eu podia garantir. Tem sido assim até hoje. Mas poderá mudar.

O que lhe dá mais prazer em blogar?
É bom escrever sobre um filme quando o roteiro se alia a alguns recursos visuais que advêm de uma técnica, simples ou sofisticada, que se junta a uma história com sentido universal. Então, ao relacionar aquela narrativa ao contexto do dia a dia, o significado de assistir a um filme pode adquirir mais relevância do que ver algo apenas por divertimento.

Tem algo difícil em blogar?
Talvez escrever sobre um filme que eu não goste.

Você compartilha nas redes sociais? Quais?
Basicamente, no Facebook, na minha página pessoal e na página Ana Muniz Pensando Filmes.

Você envia e-mail avisando de novas postagens?
Um dia fiz um teste enviando e-mails para algumas pessoas. Ainda que eu goste de interagir, só estava experimentando o programa. Mas basta seguir meu blog para receber notificações de novas postagens.

Que dica você daria para futuros blogueiros?
Postem no tempo que determinarem e sobre o que optarem, com clareza e certos de que é isso que desejam. Sei, no entanto, que há muitas outras coisas em jogo na ação de blogar. Mas é só buscar as informações.

Diga algo que eu não perguntei:
Fernanda, obrigada pelo espaço. Um abraço.

Navegue também no Site da Ana Muniz

Conheça mais blogueiros

Gostou? Compartilhe.

Compartilhe
Um comentário

Comentar

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *