Não existe o novo sem o antigo