Arte: Régine Ferrandis
Arte: Régine Ferrandis

Last updated on Fevereiro 26th, 2018 at 09:23 am

Dei muitas oficinas de roteiros audiovisuais e de redação. Em lugares distintos, em anos diferentes, havia uma pergunta recorrente dos alunos: Será que eu tenho talento? Não é uma pergunta tola. Muitas pessoas carregam Será que eu tenho talento? por toda vida.

Creio que essa resposta não está na mão de professores, amigos, inimigos, especialistas. Quem confirma o talento dos escribas são os leitores. Também por conta disso é que devemos publicar o que escrevemos em todos os espaços possíveis: do romântico guardanapo ao facebook.

Eu gostava de dizer aos alunos algo que falo para mim mesma: Mensurar o talento é profundamente subjetivo. Creio que ele exista. Talvez possa ser entendido como uma predisposição. Mas não é, como a matemática, uma ciência exata. Não existe um teste para saber se temos ou não talento.

Faz muitos anos, em Curitiba, uma afamada professora de violino, já bem velinha, me disse que no primeiro dia de aula, ela era capaz de ver quem era talentoso. Perguntei, espantada, como ela poderia saber em uma primeira aula? Ela respondeu: Pela forma com que o aluno segura o violino.

É claro que nunca esqueci essa resposta e tentei aplicá-la à redação de textos. Passei a dizer aos alunos: Talvez você e eu não sejamos exatamente talentosos. Mas se é possível aprender a tocar violino, mesmo que sejamos desajeitados, também é possível escrever de maneira suficiente.

Como? Sendo corretos e claros. Estudando os dois pilares de qualquer recado escrito – do romance ao pequeno comentário – a coerência e a coesão. Coerência tem a ver com raciocínio conectado e bom senso. Já a coesão tem a ver com o uso preciso das preposições, advérbios, pronomes etc.

Ah, então para escrever eu preciso estudar? Certamente! Do mesmo jeito que violinistas estudaam notas musicais e treinarão diuturnamente , redatores estudam a língua portuguesa e treinarão pelo resto da vida.

Mas se depois de tanto esforço eu descobri que não tenho talento? Bom,  aí você nunca chegará a escrever de forma brilhante. Mas o mundo não precisa o tempo todo de textos brilhantes. Precisa sim de uma comunicação escrita que seja correta e clara.

Correção e clareza todos podemos conseguir. E pode anotar: isso não é qualquer coisa. Pode não comprovar o talento, mas não é café pequeno.

Assista ao vídeo Dando o seu recado, no Canal Acelera Texto – YouTube

Compartilhe
4 comentários

Comentar

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *