Filosofia da simplicidade


Mora na filosofia

Compartilhe

ferramentas da blogueira
ferramentas da blogueira

O que é filosofia da simplicidade?  Se você pretende começar ou reformular um blog, ser simples é o seu motor de arranque. Porque se a gente projeta algo complicado, acaba entregando dificuldade para o leitor. Tem gente que acha que ser complicado é mostrar inteligência. Só que não. A mente inteligente corre atrás da simplicidade. Os leitores também.

Steve Jobs (1955-2011), chefão e guru da Apple, gostava de dizer que a simplicidade é a máxima sofisticação. Muito antes dele, pintores, escritores, arquitetos, filósofos, designers afirmaram algo parecido. Existe até uma máxima: menos é mais. Ou de forma mais simples: livre-se do acessório, do apêndice, do penduricalho.

Se observamos bem, veremos que a simplicidade não é apenas procurada nas artes e no mundo dos computadores. Ela é um desejo comum e tão antigo quanto os humanos. Pois o que é simples é amigável. É fácil de compreender, usar, gostar, compartilhar.

Já o complicado afugenta. São exemplos alguns modelos de celulares, controles remotos de tevês, GPSs etc. Aparelhos com tantas funções que tornam seus usos um quebra-cabeça para iniciados. A gente tem que apertar aqui e ali com o mesmo dedo. Aguardar aqui e apressar ali ao mesmo tempo. Quanto mais intuitivo um aparelho ou programa, mais fácil será seu uso.

O complicado é uma chatice! No século 21, produto que precisa de manual de instruções dá arrepios. Seria mais prático vir escrito na embalagem: Produto complicado de usar. Já o simples é amigo do intuitivo. Sabe por quê? A intuição é um conhecimento que dispensa nova aprendizagem. Simplesmente a gente sabe.

Mas o complicado não diz respeito só aos produtos, aos programas. A complicação está presente na cultura e principalmente na linguagem. Faça o teste. Se a pessoa não sabe o que falar ou escrever, meio que naturalmente ela recorre a palavras ou imagens difíceis. Ela rebusca. Dito em português claro: ela enrola.

Quer um exemplo de enrolação na linguagem?  Quem já não ouviu do outro lado do telefone:
Eu vou estar enviando um e-mail para a senhora.
Esse vou estar enviando é tão vacilante quanto:
Vamos estar analisando a sua reclamação.

Se o interlocutor for honesto e objetivo, ele dirá:
Enviarei um e-mail para a senhora.
Vamos analizar a sua reclamação.

Simples, né?

No entanto, não sejamos intolerantes.
A simplicidade não é fácil de se conseguir.
Ela não dá em árvore e nem cai do céu.

Fazer simples dá trabalho. É laborioso jogar fora os detalhes e ficar com o essencial. Na verdade, podemos levar muito tempo para tornar nossas postagens simples. Dá um bom recado exige treino, foco e paixão de escrever.

Mas a boa notícia é que ser simples é possível. Mais ainda, é altamente recomendável. Porque a sofisticação da simplicidade ajuda o leitor do nosso blog a decolar e a pousar. Com segurança.

Gostou? Compartilhe

Compartilhe
3 comentários

Comentar

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *