O Pensador de Auguste Rodin
O Pensador de Auguste Rodin
Compartilhe

Last updated on novembro 8th, 2019 at 10:23 am

Figuras de Pensamento são uma categoria das Figuras de Linguagem – que são recursos para melhorarmos nossa comunicação falada e escrita.
Elas nos ajudam na ênfase, no sonho e adensam o que queremos dizer.

SE PREFERIR OUVIR O CONTEÚDO, CLIQUE AQUI

São 10 as figuras de pensamento

Antítese
Apóstrofe
Atenuação
Antonomásia
Eufemismo
Gradação
Hipérbole
Ironia
Paradoxo
Personificação ou Prosopopeia.

Calma, calma, calma. Você não precisa decorar nenhum desses nomes. Mas conhecer o sentido de todas elas.
Duvida? Vamos lá.

1

EUFEMISMO 

Vamos começar por uma figura de pensamento que usamos no nosso dia a dia. Um autêntico arroz de festa da língua portuguesa.

Exemplos:

Eufemismos para morrer:
Foi desta para melhor.
Entregou a alma a Deus.
Descansou.
Foi direto para o céu.
Encantou.
Etc.
A morte favorece o eufemismo, porque ela é uma realidade dura, dolorida.

O eufemismo é exatamente o abrandamento de uma palavra ou expressão.
No lugar de dizer: meu pai morreu.
Mais suave dizer: meu pai descansou.
Ou como anda na moda: meu pai fez a passagem.

No lugar de dizer para o funcionário: Você está demitido.
Mais suave dizer: Você está dispensado.

No lugar de dizer: Estou desempregada.
Melhor dizer: Estou disponível para novos desafios.

Nós brasileiros adoramos eufemismos, porque temos dificuldade de encarar nossas contradições.
Para disfarçar o racismo, no lugar de dizer que tal pessoa é negra. Empregamos vários eufemismos:
ela é de cor
ela é moreninha
ela é escurinha
ela tem cor de jambo etc.

Pero Vaz de Caminha, na Carta ao Rei dando notícia do Achamento do Brasil, escreve
“Andam nus, sem cobertura alguma. Não fazem o menor caso de encobrir ou de mostrar suas vergonhas…”
Adivinhou? Vergonhas é eufemismo para órgãos genitais.

 

2

HIPERBÓLE


Nada mais é do que uma exageração, um exagero da expressão.

 

Exemplos:

Ele chorou um rio de lágrimas.
Meu post teve um milhão de curtidas.
Estou morrendo de sono, morrendo de rir, morrendo de medo.
Bebi 20 litros de água.


Fácil ver a hipérbole, não é?
Ninguém chora um rio de lágrimas.
Você precisa ser uma alta celebridade para receber 1 milhão de curtidas no seu post.
A gente não morre (de verdade) de sono, riso, medo.
Se você beber 20 litros de água você irá morrer… afogado.

Também em Roberto Carlos temos uma Hipérbole:
“Eu quero ter 1 milhão de amigos.”

Percebam o padrão das figuras de linguagem. Elas existem para aumentar o volume da expressão. Para colorir nossa mensagem.
São elas que vão marcar a diferença entre um texto frio e um texto quente.
Entre um texto informativo e um texto mais autoral.

 

3

PARADOXO

Afirmação que desestabiliza, subverte ideias.
Dito de uma forma simples: o paradoxo é o encontro de ideias que se contradizem. Está presente no dia a dia, na filosofia, na poesia.

Exemplos:

No dia a dia:
Comprei um carro para chegar rapidamente no trabalho, mas meu colega vai de bicicleta e chega antes de mim.
Qual o paradoxo? um carro andar mais devagar do que uma bicicleta.

À medida que envelhecia, ela se tornava mais esperta.
O paradoxo: O envelhecimento traz o declínio de várias funções. No entanto, ela ficava mais esperta com o passar do tempo.

Ou este provérbio: Quem trabalha não tem tempo de ficar rico.
Autoexplicativo, né?

Na filosofia:
Começamos a morrer quando nascemos.
Paradoxo: choque entre nascimento e morte

Ela se sente só no meio da multidão.
Paradoxo entre a ideia de multidão e solidão.

Hoje eu sou mãe da minha mãe.
Paradoxo: a filha descendente virando mãe da ascendente.

Na poesia:
O rio da minha aldeia, Fernando Pessoa, sob o heterônimo de Alberto Caieiro:
“O Tejo é mais belo que o rio que corre pela minha aldeia,
Mas o Tejo não é mais belo que o rio que corre pela minha aldeia
Porque o Tejo não é o rio que corre pela minha aldeia.”
Aqui temos um paradoxo: O Tejo é o mais belo, mas o Tejo não é o mais belo.

 

4

IRONIA

Essa dá pano para manga. É uma figura que exige uma participação ativa do leitor.  A ironia exige interpretação de texto e de contexto.

A palavra ironia vem do grego e equivale à dissimulação.
Ela pode se dá por uma palavra, expressão ou por frases inteiras. Qual o efeito da ironia?
Dizer intencionalmente o oposto do se está escrevendo.
Ou na ótima definição do professor Massaud Moisés:
“Ironia é dizer o contrário do que se pensa, mas dando-o a entender”

 

Exemplo:

Vamos armar todo mundo para viver em paz.

Lembrando que a ironia depende do contexto e do repertório do leitor. Pois a ironia se dá num contexto linguístico e extralinguístico. Dentro e fora da língua.
Por exemplo:

A maioria dos políticos trabalha para o bem do povo.
Tem ironia aí? Tem.
No contexto da História do Brasil, grande parte dos políticos não trabalha para o bem do povo.
Mas talvez, em um país escandinavo, a frase “a maioria dos políticos trabalha para o bem do povo” não seja irônica.

Outros exemplos de ironia:
Fulana é tão verdadeira quanto uma nota de 30 reais.
Não existe nota de 30 reais. Portanto, fulana não é verdadeira.

Era um homem bom, seu único defeito era atirar nas pessoas.
Atirar nas pessoas não é exatamente característica de homens bons.

Fui demitida na primeira hora. Um dia lindo.
Esse dia lindo é uma tirada irônica.

Dirigia como uma moça, adorava avançar sinais vermelhos.

Sérgio era um leão. Medroso de dá dó.
Nesse exemplo temos uma metáfora (que é uma Figura de Palavra) “era um leão”.
E também uma ironia: medroso como um leão.
Sabemos que o leão, o rei da selva, não é medroso.

Voltando a lembrar que podemos combinar as figuras de linguagem.
Uma última observação: quando a ironia for extremamente ofensiva ela vira sarcasmo.
“Você é tão rico que não tem onde cair morto.
Sarcasmo não é uma figura de pensamento.

 

5

PERSONIFICAÇÃO ou PROSOPOPEIA

Essa é uma figura bem fácil. Trata-se de atribuir características, em geral humanas, a animais, vegetais, coisas.

 

Exemplos:

As flores do meu jardim falam.
A fala é um atributo exclusivo do ser humano.

Com o terremoto, as pedras rangiam de medo.
Predas não sentem. Nem medo, nem nada.

Oh, romantismo! Ouvir o riacho cantar.
Para cantar é preciso cordas vocais

O mar furioso avançou sobre o calçadão da praia.
A fúria é um sentimento.

Ao olhar-se, o espelho não gostou do que viu.
Espelho não olha, né?

– Espelho, espelho meu, existe alguma língua mais bonita do que a portuguesa?
– Não!
Espelho também não fala.

 

6

GRADAÇÃO ou CLÍMAX


Trata-se de arranjar as palavras para indicar ideias ou sentimentos em ordem crescente ou decrescente.

Exemplos:

Na ordem crescente (até o clímax)
Não irei ao casamente nem que me paguem, amarrem, empurrem, ponha uma arma na minha cabeça. Nem morta, irei!
Clímax: nem morta

Ou

Meu amor é um aroma, uma flor, um jardim. A floresta inteira.
Clímax: a floresta inteira.

Também na canção Águas de Março, do Tom Jobim, há a figura gradação:
“É pau / é pedra / é o fim do caminho.”

 Gradação na ordem descrente (do maior para o menor)
Abraçar o planeta, o continente, o país, o estado, a cidade, o bairro, a rua.
Ao escrever seja claro no parágrafo, na frase, na palavra.

Alguém pode perguntar: qual a utilidade de conhecer tantas figuras de linguagem? Toda utilidade.
Figuras de Linguagem são recursos linguísticos para ajudar a colorir e enfatizar a expressão escrita.
Muito da pobreza dos textos que lemos, nas redes sociais e nos impressos, também tem muito a ver com o desconhecimento, por parte da maioria, dos recursos da língua portuguesa.
Para escrever com comunicação e efetividade precisamos nos familiarizar com os variados tesouros da gramática.

 

7

ANTONOMÁSIA

 

Usada para designar, no lugar do nome, alguns atributos identitários.

Exemplos:

Nasci na Cidade Maravilhosa, hoje moro na Cidade da Garoa. (Rio e São Paulo).
O império do ouro negro está no fim (o petróleo).
O ouro branco fez muito estrago (a cocaína).
Adoro as músicas do Rei do Baião (Luiz Gonzaga).
Faz tempo que deixamos de ser a pátria com chuteiras (Brasil).

 

8

ATENUAÇÃO ou LITOTES

É uma combinação de eufemismo com ironia, geralmente, por meio da negação

 

Exemplos:

Essa feijoada não é das melhoras (não é boa).
Ele não é um dos mais inteligentes da classe (ele é burro).
Ela não é nada boba. (Ela é esperta).

É uma figura de pensamento mais usada na oralidade do que na escrita. Pois ela é apoiada pela ênfase:
Ela não é nada boba.

 

9
ANTÍTESE

O nome entrega o significado.
Anti (contra).
Tese (argumento).
Figura de pensamento que emprega palavras, expressões ou frases de significação contrária.

Exemplos:

Ditados populares:
Quem ama o feio, bonito lhe parece.
Em casa de ferreiro, espeto de pau.
Água mole em pedra dura tanto bate até que fura.

Caetano Veloso:
Cada um sabe a dor. E a delícia. De ser o que é.

Cazuza
Eu vi a morte e ela estava viva.

Repare que a antítese é diferente do paradoxo, pois explicita as palavras harmonizando-as.

 

10

APÓSTROFE

Essa figura de pensamento é muito fácil.
É a evocação de entidades espirituais ou de personalidades notáveis e de conhecimento da maioria.

Exemplos:

São Jorge, proteja a todos nós!
Machado de Assis, proteja os redatores

Castro Alves:
“Meu Deus, onde estás que não repondes?”
Colombo, fecha a porta dos teus mares!”

É isso!

Ouça outros conteúdos Acelera Texto na Rádio Madalena

Leia também Figuras Sonoras

 


Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Comentar

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *